Administrar sem informações

Administrar sem informações contábeis é como navegar no escuro

Organização, conhecimento sobre o mercado e capacidade de planejamento são alguns dos requisitos básicos para administrar uma empresa, seja ela de pequeno, médio ou grande porte. Para isto, o gestor deve estar constantemente informado sobre o negócio, especialmente no que se refere às informações financeiras e contábeis.

Para atender a esta necessidade, profissionais e escritórios se especializaram na prestação de serviços de consultoria. Nas palavras do consultor Artemio Bertholini, a Contabilidade é para a gestão como os itens do painel são para o carro. “É possível dirigir sem o painel, mas o motorista estaria no escuro, sem saber a hora correta de colocar gasolina ou a velocidade em que se encontra. Além disso, a chance de que algo dê errado é ainda maior”, declarou Bertholini, que fez parte do grupo do Comitê Internacional de Contabilidade (International Accounting Standards Board – IASB, no original em inglês) para implementação das Normas Internacionais de Contabilidade nas Pequenas e Médias Empresas. Bertholini destaca que por meio das Demonstrações Financeiras sabemos como anda a saúde financeira, as características do patrimônio e o desempenho de um negócio.

Através do controle e análise da movimentação financeira e da situação patrimonial da empresa, os consultores auxiliam o administrador a se planejar para imprevistos, estabelecer metas acuradas e conhecer, de fato, a saúde patrimonial e financeira de sua empresa. Mas, se em situações normais o profissional da contabilidade é fundamental, em períodos de crise sua presença se faz ainda mais necessária.

Em um cenário econômico instável, as ações necessitam ser tomadas com celeridade e precisão. Uma decisão errada na gestão pode acarretar prejuízos ou, até mesmo, colocar em risco a sobrevivência do negócio. “Com uma boa prática contábil, demonstrações feitas tempestivamente e em um nível de detalhamento apropriado é possível identificar, por exemplo, se os custos estão aumentando, qual o peso que os impostos exercem ou se uma linha de produtos está rentável ou deficitária”, afirmou o consultor. “A Contabilidade é o cartão de visitas da empresa. Ela é a melhor forma de analisar sua situação financeira”, ressaltou. Linguagem única Bertholini usou outra analogia para exemplificar como funciona o trabalho do consultor contábil: “um trabalho eficiente de consultoria requer um bom profissional, as ferramentas adequadas e uma rotina de colaboração com a gestão.

Os gestores precisam se acostumar a ler as informações financeiras diariamente”. Mas apesar de muitos gestores não utilizarem a ferramenta que têm à disposição, a consultoria contábil está cada vez mais presente no mercado. Para Bertholini, um dos fatores que contribuiu para esta expansão foi a adoção das Normas Internacionais de Contabilidade (International Financial Reporting Standards – IFRS, no original, em inglês), que refletem a condição financeira das empresas com mais precisão e estabeleceram um padrão contábil no mundo. “Um médico, antes de dar um diagnóstico realiza exames, tira a temperatura, ouve os batimentos etc.

A Contabilidade funciona como estes instrumentos, mas se um termômetro usa graus Celsius e o outro Fahrenheit o diagnóstico não terá a precisão necessária”, declarou o consultor. No entanto, apesar do crescimento, é importante alertar os gestores sobre o potencial da Contabilidade como instrumento de previsão. “A Contabilidade ainda é vista por uma boa parte do empresariado como um mal necessário e não como uma ferramenta de gestão. É fundamental um trabalho de conscientização, para que eles mudem esta postura”, destacou.

Fonte: www.crcsp.org.br

Você também poderá se interessar por:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *